Dias de hoje. Milhares de pessoas em frente a Caaba (local que guarda a Pedra Negra) em Medina (Arábia Saudita), cidade sagrada para o Islã. Ao menos uma vez na vida todo muçulmano deve visitar a cidade.

Sala de Aula - História Medieval - Islã / Muçulmanos

CIVILIZAÇÃO ÁRABE MEDIEVAL

Marcos Emílio Ekman Faber

 
Maomé, nasceu em Meca (Penínsila Arábica) no ano de 570 d.C., pertencendo ao clã Hachim da tribo dos Coraxitas, sendo orfão e pobre tornou-se condutor de caravanas de uma rica viúva, com quem veio a se casar.

À frente das caravanas viajou por boa parte do Oriente Médio, onde teve contato com o Cristianismo e Judaismo.

Em 610, quando meditava numa caverna do Monte Hira, recebeu uma revelação, que afirmava ser do arcanjo Gabriel. Com esta revelação, descrita no Corão, passa a pregar uma nova religião que inicialmente é recebida pela sua comunidade e posteriormente pelas camadas pobres. A cidade de Meca que vivia basicamente de perigrinações - nesta cidade ficava a Caaba, santuário que continha 360 ídolos, onde as
tribos árabes se dirigiam para culto - esta perigrinação era favorável aos comerciantes locais, que passaram a ver na pregação de Maomé um obstáculo. Estes comerciantes juntaram-se contra a nova religião e perseguiram Maomé que fugiu com seus seguidores para Medina, nesta cidade organizou um exército que conquistou Meca em 630 e destruiu todos os ídolos da Caaba menos a "pedra negra" que continuou a ser adorada pelos maometanos, também conhecidos por islamitas ou muçulmanos.

As tribos árebes do deserto vieram a se converter a nova religião e a arábia foi unificada. Maomé morreu em 632 e seu trabalho foi continuado por seus sucessores, os califas, que conquistaram novas terras através das "guerras santas" (pressão imposta aos povos vizinhos, que: ou se convertiam ou eram forçados a conversão). Os muçulmanos se estenderam pelo norte da África e região do antigo império Persa.

Expansão do Islã

Com a morte de Maomé o poder passa a ser exercido pelos califas (chefes religiosos, militares e políticos).

Por haver necessidade de terras férteis, o islã parte em direção da Europa e norte da África, onde conquista muitos territórios.

Em menos de um século o Islã conquista um enorme império presente em três continentes.

Foram, mais tarde, subjugados pelos Turcos, que formaram o Império Otomano, este império perdurou até a Primeira Guerra Mundial, quando foi conquistado pela França e Inglaterra que ali dominaram até o final da Segunda Guerra Mundial, quando os países do Oriente Médio tornaram-se independentes. Com a independência, imaginava-se a unificação dos povos árabes, porém rivalidades étnicas (armênios, Curdos, Turcos, Árabes e Judeus) impossibilitaram qualquer união.

Em 1948, os Ingleses retiraram-se da Palestina - local de disputas entre hebreus e árabes. Esta região foi consedida para criação do estado hebreu, onde foi, então, estabelecido o Estado de Israel.

Cultura Árabe Medieval

Nas cidades árabes medievais, ao contrário da maior parte das cidades européias, haviam escola, universidades e bibliotecas. Foram grandes desenvolvedores nas áreas da medicina, da filosofia, da matemática, da geometria e da arquitetura.

Difundiram os algarismos hindus no Ocidente. Posteriormente conhecidos como algarismos arábicos, os algarismos hoje universais.


Busca no História Livre

powered by FreeFind

O comércio foi a principal fonte
de riqueza dos árabes
 

Vídeo A Expansión Bizantina e Musulmana (1:30) em espanhol
 

Vídeo A Origem Bíblica do Conflito Árabe-Israelense (5:30)

 

A escrita árabe
www.historialivre.com - Na web desde 2000
© 2015 by Marcos Emílio Ekman Faber