Escravos trabalhando em mineração. Litogravura de Rugentas.

Sala de Aula - História Brasil - Brasil Colônia

OS BANDEIRANTES

Marcos Emílio Ekman Faber

Quando os espanhóis começaram a desbravar a América, logo encontraram metais preciosos em abundância (ouro e prata). Já os portugueses encontraram metais em pequena proporção, por isso, passaram a explorar o pau-brasil. Porém, o governo português preocupado em manter o domínio sobre o território brasileiro patrocionou a entrada de expedições em terras brasileiras.

Existiram três tipos de expedições ao território brasileiro:

Bandeiras: expedições particulares de exploração do território.
Entradas: expedições patrocinadas pelo governo português.
Monções: expedições fluviais, por rio, ao território brasileiro.

Todas elas tinham duas funções exploratórias. A primeira, era a de exploração do território e, a segunda, de exploração das riquezas naturais (ouro, prata) e do apresamento (aprisionamento) de indígenas (escravização).

Como inicialmente, os bandeirantes não encontraram ouro, passaram a escravizar índios. Por esse morivo, passaram a invadir as Missões Jesuíticas, pois nestes locais os índios eram europeizados, ou seja, eram instruídos na agricultura e na pecuária, assim como já haviam recebido o catolicismo por religião. Isso fazia dos índios missineiros mais áptos para o trabalho escravo do que os indígenas selvagens, que resistiam mais à escravidão.

Apesar da caça ao índio ter ocupado a atenção dos bandeirantes até meados do século XVII, desde os primeiros tempos da colonização houve tentativas de descobrir metais preciosos no sertão brasileiro.

A descoberta do ouro e da prata, assim como de pedras e metais preciosos (diamantes, ágatas, etc.) fez com que iniciasse uma corrida ao ouro no Brasil. Pessoas de todas as partes mudavam-se para as regiões das minas gerais em busca do enriquecimento rápido.

Porém, o governo português, atento ao que acontecia, criou a Lei do Quinto, onde um quinto (20%) do ouro encontrado no Brasil seria entregue, na forma de imposto, ao rei de Portugal.

Para burlar essa Lei, os mineradores enviavam o ouro dentro da imagem de santos, eram os Santos do Pau-Oco, ver imagem ao lado.

O Mito dos Bandeirantes

Na literatura e na pintura nacionalista do século XIX e inicio do XX (ver a imagem de Martim Afonso de Souza, no alto à direita), os bandeirantes foram representados como heróis e desbravadores de uma terra hostil e gigantesca, homens de grande coragem e bravura, bem armados, bem vestidos, calçando botas, usando chapéus e com traços puramente europeus. Dessa forma os artistas ajudaram a criar um mito, selecionando o que deveria ser celebrado.

Porém, segundo o historiador Bóris Fausto:

"Os bandeirantes marcham descalços (...). Constituíram um grupo de origem portuguesa ou mestiça (...) e não tinham nada a ver com a imagem de heróis civilizadores. Do ponto de vista da organização social, os paulistas construíram uma sociedade rústica, com menos distinção entre brancos e mestiços, influenciada pela cultura indígena". (Boris Fausto, História do Brasil, Edusp, 1995).

Questões para reflexão

1. Como os bandeirantes eram retratados na pintuira do século XIX e início do século XX?

2. Segundo o historiador Bóris Fausto, como era a aparência e como viviam os bandeirantes?

3. Na sua opinião, qual das duas versões está correta? Explique.

Como auxílio, utilize os vídeos ao lado.



Busca no História Livre

powered by FreeFind
Martim Afonso de Sousa, um dos principais bandeirantes a explorar o território brasileiro.
 

Vídeo: Brasil Açucareiro e os Bandeirantes (9:47) por Bóris Fausto
 

Vídeo: A Escravidão no Brasil Colônia (2:58)
Clique para ampliar!!!
Santo do Pau-Oco. (amplia)
 
www.historialivre.com - Na web desde 2000
© 2014 by Marcos Emílio Ekman Faber