A civilização viking foi a última dos bárbaros a se converter ao cristianismo.
Imagem acima, série Viking do History Channel (Vikings, EUA, 2013).

Sala de Aula - História Medieval - Os Vikings

A CIVILIZAÇÃO VIKING

Marcos Emílio Ekman Faber

A gelada região da Escandinávia no norte da Europa, local onde hoje ficam a Suécia, a Noruega e a Dinamarca, passou a ser habitada por volta do ano 700 de nossa era. Seus habitantes, chamados de vikings ou nórdicos, organizavam-se em aldeias agrícolas. 

Como eram excelentes navegadores, os vikings tonaram-se grandes comerciantes marítimos. Por sinal, a intensa vida marítima legitimou a pirataria como importante atividade econômica entre os nórdicos. A própria palavra viking significa “pirata”.

Por mar, os vikings conquistaram várias regiões da Bretanha (atual Inglaterra) e do continente europeu. Por não terem o calado muito fundo, as embarcações nórdicas podiam navegar tranquilamente pelo rios europeus. Foi assim que chegaram até a Europa Central. Os varegues, originários da Escandinávia, navegaram até Kiev na Ucrânia. Em 907, uma frota de mais de dois mil navios vikings invadiu e conquistou a cidade de Constantinopla na atual Turquia.

Por tudo isso, os escandinavos causavam grande terror nos povos estrangeiros. Devido ao intenso frio, os vikings vestiam-se com peles de animais. Suas armas eram feitas de metal e madeira, utilizavam grandes espadas de ferro e escudos de carvalho. Nas cabeças, os nórdicos ostentavam elmos com chifres, sinal de sua virilidade e força. Os homens eram bastante altos e fortes, suas longas cabeleiras e suas compridas barbas loiras ou ruivas ajudavam a intimidar seus adversários. As mulheres, igualmente altas e loiras ou ruivas, eram belas e fortes. Nas vezes em que a Escandinávia foi invadida pelos bretões ingleses, elas lutaram lado a lado com os homens.

A sociedade viking era bastante simples. No topo da sociedade estava o rei, logo abaixo estavam os líderes tribais, estes eram responsáveis pelo exército e, por isso, desfrutavam de grande prestígio em suas comunidades.

Na base da sociedade estavam as famílias. Aos homens cabia o ofício da pesca e da caça. Eram eles os responsáveis pelas atividades econômicas e, também, por servir o exército. Já as mulheres eram responsáveis pelos trabalhos domésticos e pela educação dos filhos.

Outro grupo importante na sociedade nórdica eram os sacerdotes. A religião, fundada numa rica mitologia, reproduzia as dificuldades cotidianas dos povos da Escandinávia. Os principais deuses Odin (deus supremos), Thor (o mais popular) e Loki (deus associado à esperteza e à trapaça) serviam de exemplo para a superação dos problemas cotidianos enfrentados pelas populações locais.

Por volta do século X, o cristianismo penetrou na região e pouco a pouco a mitologia nórdica foi perdendo espaço para a nova fé. A lenda de Beowulf é uma clara demonstração disto, pois apesar de descrever uma tradição da antiga religião, a lenda foi redigida quando o reino já havia se convertido ao cristianismo. Na lenda, Beowulf, um guerreiro nórdico, luta contra várias bestas-feras. Ao livrar o reino da ameaça do feroz Grendel, o herói é coroado rei. Após um longo período de paz, Beowulf, agora governando um reino cristão, é obrigado a lutar contra um último inimigo, o temível Dragão. Apesar de vitorioso, o rei é gravemente ferido. Ao morrer, Beowulf deixa o trono para seu sucessor, o cristão Wiglaf.

A partir do século XI, os constantes conflitos com os francos ocasionou o gradual enfraquecimento desta rica civilização.

 

 


Busca no História Livre

powered by FreeFind
 
Pôster do filme A Lenda de Beowulf (Beowulf, EUA, 2007).
 

Vídeo: Os Vikings (6:36) em inglês.
 
Embarcação viking.


O deus mitológico Thor sempre foi, uma importante figura da cultura viking. Imagem acima da versão da Marvel para os quadrinhos de Thor.
www.historialivre.com - Na web desde 2000
© 2015 by Marcos Emílio Ekman Faber