Alfabeto fenício, o mais antigo conhecido.

Sala de Aula - História Antiga - História da Escrita e da Literatura

AS PRIMEIRAS FORMAS DE ESCRITA

Marcos Emílio Ekman Faber
Versão para impressão

Não se sabe ao certo quando e onde a escrita surgiu. Mas é quase certo que os primeiros registros escritos ocorreram praticamente na mesma época no Egito e na Mesopotâmia, por volta do ano 3500 a.C.

No Egito a escrita se desenvolveu na forma de ideogramas e ficou conhecida como escrita hieroglífica. Os hieróglifos, além de muito belos, alguns parecem obras de arte, eram registros sobre a produção de alimentos e, também, sobre a história dos faraós e do próprio Egito Antigo.

Já na Mesopotâmia, a escrita se desenvolveu na foram de cunhas. Inicialmente a escrita cuneiforme tinha por objetivo registrar as transações comerciais e a produção de alimentos. Somente muito tempo depois serviu para registrar a história do reino e de seus monarcas.

O primeiro alfabeto somente surgiria com os fenícios, lá pelo ano 1 mil a.C. Dos fenícios outros povos adaptariam e aperfeiçoariam o alfabeto, até que ficasse como hoje o conhecemos.

Os
gregos foram os responsáveis por criar o primeiro alfabeto universal, isto é, que seria utilizado por vários povos, especialmente em transações comerciais internacionais. Do grego, os romanos criariam o alfabeto latino, que utilizamos até hoje.


Aulas em sequência:
Arte e Inscrições Rupestres / O Surgimento da Escrita / As Primeiras Formas de Escrita / A Escrita e as Leis / Mitologia e Literatura na Antiguidade / Deuses, Semideuses e Herois na Mitologia

 

Alfabeto Grego

Textos de Apoio (formato PDF):
A Pré-História Lendária da Vila Anair / Códigos de Lei: Comparação e Evolução ao Longo dos Tempos / Arte Rupestre (História da Arte)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

333
Busca no História Livre

powered by FreeFind
Inscrição hieróglifa do Egito Antigo.
Tablete cuneiforme sumério.

Vídeo sobre O Surgimento da Escrita (9:39)
 
Hieróglifos.
www.historialivre.com - Na web desde 2000
© 2016 by Marcos Emílio Ekman Faber